Prefeitura do Rio de Janeiro divulga medidas que afetam setor gastronômico na virada do ano

Neste sábado, 26 de dezembro, a Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou regras relacionadas a manter a segurança sanitária na reta final do ano na orla da cidade e preservar vidas no decorrer do período de virada de ano. No entanto, essas normas acabam por impactar o setor gastronômico da Cidade Maravilhosa por desestimular a concentração de pessoas.

Uma das ações é impedir a queima de fogos de artifícios em toda a orla da cidade, incluindo o setor hoteleiro, desde a meia-noite do dia 31 de dezembro até as 7h do dia 1º de janeiro de 2021.

A proibição de estacionamento na orla e nas ruas da proximidade se iniciará a partir do dia 31 de dezembro. Será realizado também um bloqueio da passagem de veículos do transporte coletivo para a praia de Copacabana, na região sul da cidade, e na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, a partir das 20h do último dia do ano.

Além disso, a Administração Municipal do Rio de Janeiro anunciou que promoverá a montagem de barreiras de fiscalização nos limites municipais para evitar a chegada de ônibus, vans e micro-ônibus e outros veículos a cidade, a partir do primeiro instante do último dia do ano até a manhã do primeiro dia do próximo ano.

Regras para estabelecimentos do setor de gastronomia no Rio de Janeiro

Segundo o plano da Prefeitura do Rio de Janeiro, os estabelecimentos comerciais da área de culinária terão autorização para operar, desde que sem a comercialização de ingressos, sem cercados e sem apresentações musicais ou efeitos sonoros.

A utilização de equipamento sonoro será proibida em toda a extensão da orla a partir da meia-noite do dia 31 até as 6h do dia 1º de janeiro. Neste mesmo espaço de tempo, estará vetada a estadia de barraqueiros em ponto fixo, tanto na areia da praia quanto no calçadão.

Prefeitura do Rio de Janeiro divulga medidas que afetam setor gastronômico na virada do ano
Foto: Agencia Brasil

O prefeito em exercício, Jorge Felippe, ponderou que as normas objetivam “a preservação da vida e da saúde; ninguém desconhece a gravidade da covid-19. Exige dos homens públicos medidas austeras e, com certeza, vamos encontrar por parte da população a solidariedade, o empenho e a responsabilidade necessários para que possamos evitar o aumento do contágio na cidade”.

O que você achou deste artigo?