Com culinária nacional, chef comemora sucesso em Feira Noturna de Mogi Mirim

O chef Carlos Soares, está comemorando os frutos da autorização concedida para que a sua companhia pudesse a atuar na tradicional Feira Noturna de Mogi Mirim, realizada semanalmente, no Espaço Cidadão. Ao todo, foram 36 meses de tratativas para que o projeto fosse aprovado pelas autoridades locais.

O chef estabeleceu um negócio concentrado no processo de venda, em pontos de comércio popular, de três pratos muito famosos na gastronomia brasileira: o baião de dois, a galinhada e o feijão tropeiro. Sendo assim, ele descobriu o potencial da presença de suas receitas em feiras regionais, que aumentaram na cidade desde 2013.

Trabalho do chef na região

Por isso, ele chegou a estar em 11 municípios da região, com foco em Holambra e Estiva Gerbi. No último município, a sua barraca virou praticamente um cartão de visitas. Já que foi o local mais concorrido, alcançando a marca de mil pratos servidos a cada noite de trabalho.

No entanto, o agravamento da pandemia do novo coronavírus afetou fortemente o seu negócio. Como outras empresas da área de gastronomia, a sua empresa também passou por problemas com o fechamento das feiras noturnas e a suspensão de eventos privados.

Com culinária nacional, chef comemora sucesso em Feira Noturna de Mogi Mirim
Foto: Visual Hunt

Vale salientar que o chef tem reconhecimento nacional devido a uma parceria com o apresentador de TV, Gilberto Barros. Em 2014, Soares foi chamado pelo Comitê Olímpico Brasileiro para ser o cozinheiro da delegação brasileira que disputou as olimpíadas de inverno em Sochi, na Rússia.

A culinária, na visão do chef, se trata de um negócio de família. Na cidade de Mogi Mirim, ele atua com o auxílio de seus filhos, Carlos Eduardo e Juan, na preparação de todos os pratos.

“A receptividade do público mogimiriano tem sido excelente. Estamos bastante felizes por, enfim, podermos trabalhar aqui”, comentou em entrevista ao portal Comarca.

Requisitos para atuar na Feira Noturna

Valdir Biazotto, secretário municipal de Agricultura, reforçou que a presença do chef na Feira Noturna de Mogi Mirim necessitou cumprir uma série de requisitos.

“A gente faz pesquisa e, antes de mais nada, sente a necessidade das pessoas. Não adianta colocar uma atração que não venha a agregar no interesse do público”, explicou.

Ainda segundo o responsável pela pasta, a cidade respeitou todos os protocolos técnicos apontados pelos profissionais da área de saúde a fim de realizar a volta gradual da Feira Noturna, até que se tivesse condição de retomada do formato original.

Recentemente, o evento foi autorizado a voltar a comercializar bebidas. A próxima medida, que ainda não possui uma data prevista, tende a ser a recolocação das mesas. Todavia, a administração municipal não tem pressa para que esse passo seja dado.

O QUE VOCÊ ACHOU DESTE TEXTO?

Por favor insira seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui